quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

THIAGO LIMA - VINHO VERDE E O LEITÃO À BAIRRADA X COSTELA SUÍNA


Olá queridos leitores!

Hoje darei um presente de carnaval para vocês com uma dupla coluna!

Falaremos um pouco do delicioso e refrescante vinho verde, português juntamente com o famoso, e de comer de joelho, “Leitão Assado à Bairrada”.

O “Vinho Verde” é único no mundo. Um vinho naturalmente leve e fresco, produzido em região demarcada, estende-se por todo o noroeste do país, na zona tradicionalmente conhecida como Entre-Douro-e-Minho. O “Vinho Verde” é uma filosofia de vida onde para alcançar as suas características, temos o reconhecimento da Denominação de Origem e veio assim conferir, à luz do direito internacional, a exclusividade do uso da designação «Vinho Verde» a um vinho com características únicas, devidas essencialmente ao meio geográfico, tendo em conta os fatores naturais e humanos que estão na sua origem.

O engraçado do “Vinho Verde”, é que a sua característica não é por ser verde, até porque existem os “Vinhos Verdes” brancos, tintos e rosados, mas sim por todo o conjunto da obra que levam a excelência no paladar e na refrescância que onde embarcamos numa deliciosa viagem enogastronomica por Portugal.

Uma fantástica sugestão de “Vinho Verde” branco é o da casta Alvarinho, onde caracteriza-se por uma cor intensa, palha, com reflexos cítricos, aroma intenso, distinto e complexo, que vai desde o marmelo, pêssego, banana, limão, maracujá e lichia (caráter frutado), a flor de laranjeira e violeta (caráter floral), a avelã e noz (caráter amendoado) e a mel (caráter caramelizado), sendo o sabor complexo, macio, redondo, harmonioso, encorpado e persistente. 


Agora, para acompanhar este belo “Vinho Verde”, vamos entrar na Estrada Nacional, entre Coimbra e Anadia (Portugal), na zona da Mealhada, e degustar o famoso leitão a Bairrada!

Dourado, com um paladar impar e com séculos de tradição, o leitão da Bairrada, é a maior riqueza gastronômica da região.

Com o peso a oscilar entre os seis e os oito quilos, um mês e meio de idade, o leitão sai do leite materno para se transformar numa iguaria ímpar famosa em todo o país.

Temperado à boa maneira da tradição com uma pasta de sal e pimenta, enfiado no espeto durante duas horas em forno a lenha pelas mãos de especialistas na sua confecção, amarelo como ouro na sua pintura a calor lento, o leitão é verdadeiramente um manjar divino.

Uma super dica para apreciar esse leitão, é o restaurante “Pedro dos Leitões” que fica na zona de Mealhada.


E vamos ao que interessa!

COSTELA SUÍNA

INGREDIENTES
4 cebolas cortadas em rodelas

1 kg de costela suína
sal e pimenta-do-reino moída a gosto

1 garrafa de vinho branco
ramos de tomilho, alecrim a gosto

MODO DE PREPARO
Num tabuleiro faça uma cama de cebola cortada em rodelas.

Tempere a costela suína com sal e pimenta-do-reino. Coloque a costela sobre a cama de cebolas e espalhe ramos de tomilho e alecrim. Regue com o vinho branco e deixe marinando por 24 horas na geladeira.

OBS: O ideal é marinar a carne por 24 horas para ficar macia e suculenta. Mas se não tiver tempo, deixe apenas algumas horas e dê sequência ao processo.

Retire o tabuleiro da geladeira, cubra com papel alumínio e leve para assar em forno baixo a 160ºC por cerca de 1 hora. Retire do forno, regue a costela com o caldo da assadeira, cubra novamente com papel alumínio e volte novamente ao forno por mais 30 minutos. Retire do forno, coe o caldo e volte o tabuleiro ao forno somente com a costela por 15 minutos em fogo alto para dar aquela crocância.

Coloque o caldo coado numa panela e leve ao fogo médio até reduzir. Sirva em seguida

DICA: Faça também uma redução de vinho tinto com geléia de jabuticaba! Fica sensacional!


Contatos:
(21) 98737-9583 (RR Assessoria)
rrassessoria.thiagolima@gmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...